« Home | SÉTIMA ARTE I » | OUTROS FILMES I » | OUTROS SONS I » | MESTRES DA PINTURA II » | MESTRES DA PINTURA I » | Portugal hoje: o medo de existir / José Gil . - R... » | LEITURAS NA ESPLANADA » | CAMINHO DAS ESTRELAS » | Sugestões de Leitura para o Verão » | EXPOSIÇÃO DE CARICATURAS Na evocaç... » 

quinta-feira, setembro 01, 2005 

O LUGAR DA HISTÓRIA


A Batalha da Roliça

Enquadrada na 1ª Invasão francesa, a Batalha da Roliça viria a ser o primeiro grande confronto entre o exército francês que na altura ocupava Portugal e o exército britânico que entretanto tinham desembarcado no nosso país e que era comandado pelo mítico Sir Arthur Wellesley (futuro Duque de Wellington). O confronto militar deu-se no dia 17 de Agosto de 1808 tendo os primeiros tiros sido dados ainda nos limites do actual Concelho de Óbidos terminando as hostilidades na zona da Roliça, mais concretamente junto dos altos da Columbeira, com a completa vitória das forças inglesas sobre as tropas napoleónicas. Foi a primeira das muitas vitórias de Arthur Wellesley sobre as tropas francesas que culminaria, anos mais tarde, no triunfo da Batalha de Waterloo (1815) e consequente derrota de Napoleão, acontecimento este que mudaria para sempre o xadrez geopolítico da Europa do século XIX.
A exemplo do que já se faz lá fora ao nível das reconstituições históricas das Batalhas Napoleónicas, era importante o Concelho do Bombarral e os Bombarralenses começarem a preparar condignamente a comemoração dos 200 anos da Batalha da Roliça que irá ocorrer em 2008. É poís necessário um novo olhar sobre este episódio militar tendo bem presente as enormes potencialidades turístico-culturais que este acontecimento histórico representa quer ao nível da divulgação do Bombarral quer no que diz respeito à salvaguarda do seu património histórico.

Boa tarde,

Não sei se será do vosso conhecimento, mas uma parte do povo da Columbeira, Bombarral, estas prestes a demolir a igreja centenária da sant'anna, alegando falta de segurança e em vez de resolver o problema, optar por destruir o nosso patrimonio.

Enviar um comentário